Saiba quem é a mulher estampada na nota do real!

Você já percebeu que, nas cédulas em circulação no Brasil, além dos diversos animais que estampam a face reversa também existe uma moça que aparece em todas as notas de real? A figura se parece à escultura de uma mulher, toda séria e sem olhos, ilustrando o lado anverso de todas as cédulas. Mas, afinal, quem é essa moça?

De acordo com o Banco Central do Brasil, trata-se de uma efígie simbólica, ou seja, uma ilustração que representa a República. No nosso país, ela foi interpretada sob a forma de uma escultura, e a imagem original que serviu de inspiração para essa representação foi o quadro “A Liberdade Guiando o Povo”, de Eugène Delacroix, no qual a Liberdade é apresentada na forma de uma mulher. Confira o quadro abaixo:


Tudo começou a partir de um acontecimento que marcou e modificou o mundo inteiro, sendo considerado o maior acontecimento da história nos últimos 1800 anos: A Revolução Francesa.

A revolução francesa aconteceu entre 05 de maio de 1789 até 09 de novembro de 1799, durante este período muitos fatos históricos ocorreram.

De forma resumida:

Antes da revolução havia um regime absolutista, onde o rei governava através de um poder supremo fazendo com que 95% da população fosse oprimida e explorada pelos seus outros 5% (Clero e Nobreza), condenando a guilhotina ou prendendo na Bastilha aqueles que se opunham ao governo.

A França passou por períodos revolucionários que se iniciaram com a queda da bastilha em 1789 (prisão política símbolo da opressão), e chegaram até o seu ápice no ano de 1793, quando a família real francesa foi toda guilhotinada.

O fato é que o povo era oprimido e submisso, para que a revolução acontecesse era necessário incitar o povo, era necessário inspirá-los! Foi isso que aconteceu no dia em que uma nova perspectiva e um novo ideal foi lançado:
“Liberdade, Igualdade e Fraternidade”. Essa frase não lhe soa familiar? Para quem não sabe, este é o princípio básico da maçonaria. Isso mesmo, até os livros de história admitem, foram os maçons quem planejaram, inspiraram e contribuíram para a revolução francesa através de seus ideais iluministas. O povo precisava de esperança, e foi exatamente isso que a maçonaria lhes deu.
Após o triunfo da revolução, foi criada a República Francesa, terminando com o sistema absolutista, dando mais autonomia ao povo através de direitos sociais e com a declaração dos direitos do homem e do cidadão.
“A revolução, os novos ideais, as perspectivas do povo, enfim, a república, precisava de um símbolo, de uma imagem, e assim foi criada Marianne, a personificação da república.”

“Marianne é liberdade, igualdade e fraternidade, ela simboliza o triunfo e a república.”

Na antiguidade era comum representar ideais, fenômenos e entidades abstratas, em deuses, deusas e personificações alegóricas, esta prática foi menos comum na idade média, mas ressurgiu durante o renascimento.

Esta mulher representa a razão, a nação, a pátria e principalmente as virtudes da república.

Historiadores dizem que a razão pela qual foi escolhida uma mulher para representar a república, foi que uma alegoria feminina simbolizava uma ruptura com o antigo regime autocrático chefiado por homens.

A origem do nome é um pouco incerta, mas muitos dizem que se trata da junção dos dois nomes femininos mais comuns na França: Mari e Anne.
Sendo assim, Marianne se tornou a Efígie da república. Efígie significa alegoria, ou símbolo.
Chamada por uns de “Senhora da Liberdade” e por outros de “Senhora da Maçonaria”.

Quando a França resolveu presentear os EUA em comemoração aos seus 100 anos de declaração de independência, fez isso através da Estátua da Liberdade: uma versão maçônica de Marianne, feita pelo maçom Frederic Auguste. Não demorou para que Marianne se tornasse alegoria da República em todo o Ocidente, incluindo, é claro, o Brasil. Se os americanos conseguem ver a Maçonaria na nota de um dólar, através do “Olho que tudo vê”, nós brasileiros podemos encontrá-la em todas as nossas notas através dela, Marianne, a Senhora da Liberdade, a Senhora da Maçonaria.

3 comentários:

  1. sei não mas acho que é princesa Izabel nas notas mas antigas está escrito o nome dela.

    ResponderExcluir
  2. Se tem protesto a mídia é contra, descubra o motivo:
    http://blog-antisocial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. “Liberdade, Igualdade e Fraternidade” é o princípio básico da maçonaria, CERTO, mas eles NÃO seguem, só entre eles.

    "Foram os maçons quem planejaram, inspiraram e contribuíram para a revolução francesa através de seus ideais iluministas", quá quá quá quá quá quá quá quá Então me diz o motivo da maçonaria satânica nunca seguir os ideais de Rousseau, Montesquieu, Diderot e Voltaire... quá quá quá quá quá quá

    ResponderExcluir